Errou o céu por 45 centímetros

Leitura Bíblica: Romanos 10.9-10 

Meu filho, dê-me o seu coração; mantenha os seus olhos em meus caminhos (Pv 23.26).

Errou o céu por 45 centímetros, este é o título de um folheto que falava que muitas pessoas têm apenas um conhecimento intelectual do plano de salvação que não afetou o coração. Ele dizia: Como é que alguém pode chegar tão perto e, no fim, ouvir o Senhor dizer: “Nunca vos conheci. Apartai-vos de mim” (Mt 7.23). Contudo, este será o terrível resultado a que chegarão muitas pessoas em igrejas, hoje em dia, que dizem ser crentes, inclusive algumas em posições de responsabilidade, mas que têm crido no Senhor Jesus Cristo apenas de maneira intelectual. Tragicamente, até professores, pregadores e obreiros religiosos não estão isentos de serem acusados de tal erro. A distância entre o cérebro e o coração é de 45 centímetros. Cristo deseja o seu coração e não apenas o seu cérebro, porque “o Senhor não vê como vê o homem. O homem vê o exterior, porém o Senhor, o coração” (1Sm 16.7). É muito importante que você esteja certo de não ter manifestado a Jesus Cristo apenas por conhecimento intelectual e assentimento mental. Ele quer a rendição completa do seu coração e da sua vida. Quarenta e cinco centímetros podem significar a diferença entre a eternidade com Cristo ou uma eternidade sem Cristo. Você está certo das suas relações pessoais com ele? Por que não resolver o problema do seu coração, de uma vez por todas, e agora mesmo? (Leia Pv 2.1-5).

De nada adianta apenas conhecimento, de nada adianta apenas emoção. Só quando somos atingidos pela graça de Deus somos realmente transformados. “Conforme a sua grande misericórdia, ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1Pe 1.3). A regeneração é uma obra do Espírito Santo em nós. Ele muda nossas disposições íntimas, dando-nos um novo coração, uma nova mente, uma nova vida. Experimente desta transformação graciosa. Aproxime-se de Deus.

Creia em Deus de todo o coração e entendimento.

Comentários