Bons relacionamentos

Leitura Bíblica: Colossenses 4.5-6

Meus amados irmãos, tenham isto em mente: Sejam todos prontos para ouvir, tardios para falar e tardios para irar-se (Tg 1.19).

Um cristão é alguém que, de forma prática, expressa a sua fé. O cristão tem um relacionamento de amor com Deus e com o seu próximo. Busca agradar a Deus e viver bem com os outros.
No que diz a respeito do relacionamento saudável, Tiago ensina, em nossa referência bíblica deste dia, que a comunicação é a chave para um bom relacionamento. De forma resumida, mas muito completa, ele diz que o verdadeiro cristão deve ser pronto para ouvir, tardio para falar e tardio para se irar.
Prontos para ouvir - Estamos cada vez menos interessados em ouvir os outros e por isso os relacionamentos estão se enfraquecendo dia a dia. “Ouvir é uma responsabilidade vital para aqueles que desejam construir relacionamentos saudáveis e maduros. Precisamos disponibilizar tempo e atenção para os outros. As pessoas são mais importantes que as coisas” (Rev. Hernandes Dias Lopes). Estar pronto para ouvir é dar atenção a quem fala, refletir com paciência no que lhe é dito.
Tardios para falar - Zenão, o pensador antigo, dizia: “Te­mos dois ouvidos, mas apenas uma boca; assim podemos escutar mais e falar menos”. O problema não é só falar muito. É falar sem refletir, sem ouvir, falar fora de hora. O maior erro, às vezes, nem é o que falamos, mas como falamos e por que falamos. “Tu és senhor da palavra não dita; a palavra dita é teu senhor” (Provérbio inglês). Precisamos orar como Davi: “Põe, ó Senhor, uma guarda à minha boca; vigia a porta dos meus lábios!” (SI 141.3).
Tardios para irar-se - Muito do que ouvimos irá nos irritar. Podemos agir em uma explosão de ira ou buscar agir com mansidão, exercendo o domínio próprio. Não precisamos ter pressa de agir com ira. Não precisamos revidar, sabemos que a justiça de Deus será feita e que a ele pertence a ira e a vingança.
Tenhamos relacionamentos saudáveis e governados pela palavra de Deus.

Palavras agradáveis, bons relacionamentos.

Comentários