Bênção de compartilhar

À piedade a fraternidade; e à fraternidade o amor (2Pe 1.7).

O amor de Deus opera grande transformação em nossa vida. Deus nos convence do pecado, nos faz mais humildes, e coloca em nosso coração o desejo de ajudar ao próximo. Devemos amar assim como Deus nos amou. Isto significa que devemos amar nosso próximo independente de suas ações. Deus nos amou, não porque fôssemos dignos de ser amados, mas porque sua natureza é amar. Agora, ele nos diz, mostrem aos outros esse mesmo amor: “Ameis… assim como eu vos amei” (Jo 15.12). Devemos amar o próximo como a nós mesmos e em alguns momentos até mais do que a nós mesmos. Amar é doar. Jesus entregou sua vida. Nós podemos deixar alguns privilégios para auxiliar os que precisam. 
Precisamos deixar principalmente o egoísmo. Nossas ações e decisões diárias devem visar menos nossos interesses e favorecimento. Encha seu dia com atitudes pelas quais você não possa tirar vantagem alguma. Será o dia que mais você irá lucrar. Quando nos doamos aos outros, ganhamos muito mais do que quando nos preocupamos apenas em obter lucros. A alma farta é o melhor tesouro que podemos receber. “Desfrutamos muito mais as bênçãos de Deus quando as partilhamos com outras pessoas” (Margaret M. Marty). “Palavras bondosas e encorajadouras vindas da costa não resgataram quem está se afogando. O amor entra na água” (Debbie Burgett).
Somos tentados a pensar que apenas alguém que leva a vida de maneira bem-sucedida e que chegou à maturidade gozando de boa saúde tem uma vida de realização. Será que realmente isso é importante? Uma vida de realização está ligada apenas à saúde e bens materiais? A resposta é não. De forma alguma podemos limitar realização à boa saúde física e ao dinheiro. Sabemos que muitos, mesmos com grandes dificuldades físicas e financeiras, são muito felizes. O maior tesouro da vida é o conhecimento de Deus. É poder ter comunhão com ele, participar da sua graça e viver em amor. Mais feliz é dar do que receber. 

Amemos uns aos outros.

Comentários