Acolhendo feridos

Leitura Bíblica: Lucas 10.25-37

Não diga ao seu próximo: Volte amanhã, e eu lhe darei algo, se pode ajudá-lo hoje (Pv.3.28).

Conta-se que a centenas de anos, o exército romano se destacou por suas gloriosas conquistas. Venceu adversários, ultrapassou muralhas e massacrou seus opositores. Apesar de sua obsessão pela vitória e sua superioridade, muitos soldados eram atingidos e prostravam-se feridos no campo de batalha. Então surgia uma pergunta: o que fazer com esses homens feridos? Como a sede de conquista era insaciável, não havia tempo para cuidar dos imprestáveis feridos. Tornava-se necessário sacrificá-los. Precisavam deixá-los para trás afim de continuar avançando e conquistando. O importante para eles não era o valor individual de seus homens, mas a glória da realização. Para chegar onde se quer – não importa quem eles tinham que sacrificar no caminho.
Quando olhamos para os dias atuais, infelizmente o que vemos não é muito diferente disto. Muitos deixam seu próximo sofrendo, pois não têm “tempo” para ajudar. Estão tão ocupados com seus planos e batalhas que já não se importam com o sofrimento dos outros. Isto é uma atitude muito cruel, semelhante ao que fizeram os soldados de nossa história. A Bíblia nos ensina que devemos amar o nosso próximo como a nós mesmos. Devemos tomar como exemplo o bom samaritano que, vendo um homem caído e ferido na estrada, se compadeceu dele. O triste é que naquela mesma estrada já haviam passado um sacerdote e um levita, e se afastaram sem ajudar. “Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma, com todas as forças e com toda a mente. E ame o seu próximo como você ama a você mesmo” (Lc 10.27 - NTLH). Contando a história do samaritano, Jesus quis deixar bem claro que o nosso próximo não é apenas nossa família ou nosso amigo mais chegado. Nosso próximo é quem está literalmente próximo precisando de ajuda. Nossa ação natural é desviar e deixar os feridos para trás, mas devemos amá-los, ampará-los e ajudá-los. 

Devemos tratar os outros como desejamos ser tratados. 

Comentários